quarta-feira, 29 de março de 2017

A CALMA NECESSÁRIA NO MOMENTO DA TEMPESTADE.


             Dizem que diante de uma tempestade em alto-mar, quando as águas se agitam, quando o vento se rebela, e quando as ondas se agigantam, os barcos parecem diminuir de tamanho diante da fúria do mar, e a sensação que se estende no coração dos marinheiros é o medo de não conseguirem sobreviver a tempestade. Mas é também diante desse "medo" que os marinheiros procuram manter a "calma", e buscam focar suas atenções na execução do que for "necessário" para que o navio suporte a instabilidade incontrolável do oceano. Contudo, estarmos em terra firme não impende que passemos pelas "tempestades" dos mares da vida, mas diante disto, devemos nos "comandar" como os marinheiros, controlando nossos "medos", acalmando o "nervosismo", e nos mantendo "serenos" em meio as turbulências e vendavais que tentam nos desviar de nossa rota, porque mesmo a tempestade passando, o que garante o "equilíbrio emocional" do marujo diante de seu barco, é seu "autocontrole" em não se afogar no desespero no momento do temporal.

A palavra para hoje é TRANQUILIZAR-SE.


Nenhum comentário:

Postar um comentário