quinta-feira, 29 de março de 2018

DISCERNIMENTO PARA INTERPRETAR AS RESPOSTAS






                 Há um dito popular que diz “para um bom entendedor meia palavra basta”, mas essa máxima ainda é generosa, pois em muitos casos, não se faz necessário nenhuma expressão oral para se entender uma situação, porque até o silencio se torna uma forma de resposta. Erramos quando diante de um contexto só conseguimos analisar um lado da moeda, quando nos limitamos a ouvir somente aquilo que os nossos ouvidos querem escutar. É preciso usar da destreza para interpretarmos todas as respostas, todos os sinais, para fazermos nossa leitura das circunstâncias como elas realmente são, sem nos entorpecermos pelas emoções, e sem nos tornarmos mecânicos pela racionalidade, pois nem sempre um “não” significa negação, enquanto que um “sim” também não é afirmação da certeza. Nenhuma situação é estática, e por isso, pode tomar rumos diferentes, conforme a forma que as deciframos e nos posicionamos diante dela.  Notemos que na maioria das vezes tomamos partido por um dos lados de uma determinada situação, conforme nossas afinidades ou interesses, embora tentemos nos apresentar imparciais sobre alguns contextos. Todavia, é sábio sempre refletir, observar, e mantermos o discernimento para não julgarmos erradamente, e nem nos posicionarmos de acordo com o que apenas preferimos, ou apenas com o que interpretamos “certo” aos nossos olhos.



A palavra para hoje é ATENÇÃO.




@marianahelenadejesus